sábado, 20 de setembro de 2008

• Mardita Chapinha!

Não existe 'ditadura da moda'. O que existe é quem se sujeite. Ao menos por enquanto, ninguém coloca uma arma na sua cabeça e te obriga a usar aquela grife, aquela bolsa, aquele penteado. E por falar em penteado, peguemos como exemplo esta parte do corpo cuja vocação milenar consiste em, basicamente, embelezar a cuca.
Que fixação é essa do mulherio pela chapinha?
Qual o problema com cabelos ondulados, afinal?
Mesmo sabendo que há cabelos que realmente são difíceis, quiçá ruins pacaraio, não entendo a motivação por alisar um cabelo. Existe muita diferença entre fixar apenas um modelo como padrão, e tratar ou realçar as qualidades daquilo que há em você.
Quer dizer que só aquele cabelinho lisinho é bom? A mim soa como mania de colonizado... Qualquer profissional de imagem sabe, por exemplo, que alguns tipos de cabelo devem ser condicionados ao tipo de rosto e podem simplesmente detonar com uma face bonita, assim como ocorreria se metêssemos uma moldura barroca num quadro pós-moderno. No geral, a emenda sai pior que o soneto.
Raramente desenhei mulheres com cabelos lisos, simplesmente porque o movimento de cabelos ondulados (meus preferidos) é mais complexo e atraente numa ilustração (tanto que na maior parte das vezes até forçamos ondulações nos lisos em desenhos e em fotografias - já viu aquelas seções fotográficas com ventilador? Então).

"Afinal, Denis, por que falar de algo tão fútil?"
Bom, primeiro... fútil é o mercado de ativos que negocia com ovo no cu da galinha, como diria John McCain. Pensar sobre um dos agentes psicológicos que mais oprimem o universo feminino na nossa Era me interessa, e muito. Pela motivação (seja qual for), pelo mal estar que provoca, pelos efeitos quase sempre nefastos, pela negação do que se é. Eu sei que as mulheres não consideram muito a opinião dos homens sobre suas invencionices (e isso nunca vamos entender bem), mas ao menos deveriam considerar que sua beleza inerente é necessariamente mais interessante (em num certo sentido, menos 'mutiladora'?) do que a homogenização das cacholas (em todos os sentidos).

11 comentários:

웃 Mony 웃 disse...

A questão não é mais de padrão, é de podrão!
O podrão que colocaram nas cabeças da mulherada que ouve isso e ainda por cima acata.
Afe! O que há contra a pessoa ser bonita à sua maneira?!
É assim, a morena quer aloirar, a de cachos quer alisar, a de lisos que cachear, a magrela quer engordar, a gorda quer emagrecer. Ninguém quer ser como é! :(
Meu cabelo tem vida própria, ele que fique como quiser que o muito que faço é passar henna uma vez por mês pra não ficar que nem a Tempestade (X-Man). Lavo com shampoo bom, penteio e seco batendo e amassando pra dar algum movimento.
Se dependesse de chapinha assumiria o sarará, nunca tive saco pra ficar com um troço esquentando a minha cabeça. Pra isso já existem os problemas, e esses ninguém quer, né?!
Nem sei como se usa essa invenção do demo. Meu último secador de cabelo quebrou faz mais de dez anos e não faz a menor falta...
Tem muita coisa melhor pra se colocar na cabeça, boas idéias (a respeito de si, inclusive e principalmente), cultura e tudo o mais que faça crescer, não se diminuir.
Me lembrei de uma música: "De que vale teu cabelo liso e as idéias enroladas dentro da minha cabeça..."
Afe! Tagarelei demais.
Beijo.

Mariana disse...

Eu gosto de variar um vez liso outra casheado outra com muuuuuito laquê.

Deixa as mulheres serem camaleoas coloridas e contanto que não se atolem em dívidas e saibam planejar bem o futuro financeiro, deixe as moças gastarem com o sapatinho mais lindo do mundo, exatamente como os outros 234 q ela tem no closet heheheh

Walter disse...

Também não se por que tanto as mulheres se dobram às modas. Francamente, acho cacheado/ondulado bonito. O liso é bonito se natural.

Karin disse...

Não implica, Denis. Bom é quando a gente se sente bem. Não interessa muito como. Hj é chapinha, há 20 anos era permanente. Tô com a Mariana aí em cima, e deixa a gente inventar, criatura!

Próxima matéria sobre sapatos, por favor. E pode incluir algo como sobre o porque de acharem que mulher não pode calçar acima de 39, caraio! E se reclamar do salto alto vai levar bordoada! :P

Beijão e saudades!

Karin

Juliana disse...

Há!!! Vc acha o cabelo sarará crioulo a coisa mais linda por motivos muito óvios....

VOCÊ não amanhece tal e qual um pé de hortênsia, uma moita ou um Globe Trotter 70's!!!

O meu cabelo ,especificamente é o típico "cabelo prova de amor" pq se o caboclo acordar comigo na manhã seguinte, me olhar e ligar depois convidando p/ outra noite mágica, certamente esse homem me ama =]]

Na minha casa tenho um altar p/ 3 homens: o inventor da máquina de lavar roupas, o inventor do carro e o inventor da química alisante de cabelos impetuosamente rebeldes (tá, o 3o pode não ser bem, bem homem)... a propósito, já pensou em escrever sobre as grandes invenções??

웃 Mony 웃 disse...

Karin, eu tava bem pensando nesse lance dos sapatos... Pode ter certeza que o ponto de vista masculino é bem diferente do nosso... ;)

Juliana, adorei o termo prova de amor. Confesso que imagino que os rapazes usem o termo "propaganda enganosa", mas, implicar com penteado é coisa de mulher e de gay. :D

De Marchi ॐ disse...

Uia! Bem vindos, novos comentaristas!

Karin e Mariana,
implico porque é minha vocação, porque também adoro cabelo ondulado e porque, pela sua lógica, a variedade é tão boa que não merece ser oprimida pelo padrão "todo mundo liso e loiro", certo? :D

Juliana,
meu ponto é este... quem disse que o cabelo globetotter não é bonito? Também acho o máximo o cabelo afro (a irmã do Jairzinho, por exemplo, fica linda daquele jeito). O problema pra mim não é passar um condicionador ou o que for, PRA MELHORAR o que se é. A questão é MUDAR seu estilo natural em nome de alguém ter dito que tá fora do padrão, como se fosse uma deformidade qualquer. Isso vale pra cabelo, pra tamanho de peito, pra peso... se a própria pessoa desiste do seu estilo, como é que um dia vai conseguir seu espaço?

Vinícius Castelli disse...

Tendo cabelo já é um bom começo!

Diaba Lorena boazinha. disse...

Deixe a mulherada em paz!

A grande vantagem em ser mulher é poder mudar tuuuuuudo o que quiser sem dó nem piedade. O cabelo pode ser longo, curto, médio, loiro, ruivo, preto, com mechas, ondulado, encaracolado, crespo, liso, amarrado, solto, com trança...

Podemos ir em qualquer lugar de bermuda, de saia, de calça, salto alto, baixo, com maquiagem ou sem.. a gente pode! Vai de acordo com a lua.

E está bom assim. Não é modismo.É hormonal. E a gente não muda para agradar ninguém, não! A gente faz o que tem vontade. Querendo a cara-metade ou não.

Os homens deviam experimentar mudar radicalmente o visual de vez em quando, ao invés de reclamar de tudo.

E reclamar é coisa de mulher.
:P

Janaina disse...

Eu acho que cada um tem que ser feliz do jeito que se sente melhor. :P
Tem cabelo pichaim e sonha com um lisão? Pois alise! Gosta dele afro? Dane-se a moda do liso escorrido! Vai ser feliz sem se importar com o que os outros pensam, caraio!!
Mulher é altamente adaptavel, eu por exemplo, adorava meu cabelo pretão mas ja me adaptei às luzes pra disfarçar os menos pretos rsrsrs
PS> Se vc falar que são brancos eu respondo com o tacape na mão :X:D

De Marchi ॐ disse...

Senhoras e senhoritas, fazer o que se quer é uma coisa, fazer porque a moda obriga é outra. ;)
Tá um tédio pros consumidores (nós homens hehehehehe) essa mania de cabelinho escorrido em negras, brancas e malhadas.Pior que isso, só a moda dos permanentes nos anos 80.