sábado, 27 de janeiro de 2018

• Mony... (ao Amor da minha vida)

Nega...

Eu te amo e amei muito. Desde o primeiro dia eu sabia que você seria a mulher da minha vida (só não sabia que seria por tão pouco tempo). Obrigado por fazer-me tão feliz, tão realizado e satisfeito... obrigado pelo carinho, paciência, dedicação... obrigado por olhar nos meus olhos, com esses zoiões brilhantes que eu tanto amei, e trazer pra mim cada realce de sua transparência, de seu desejo, da sua cumplicidade e dedicação.
Vivemos tanta coisa linda, né? Eu me lembro enquanto escrevo (e talvez, se ainda existo, num outro lugar, um paraíso qualquer onde possa reviver sem limite de tempo cada detalhe, cada cheiro e cada momento que vivemos juntos). São Thomé, Paraty, Curitiba, Socorro, Itu, Floripa, NY, Miami, Paris e nossa casa. A gente vendo Frida. Você cozinhando e eu te atazanando. 'Baça-périna', na cama, enroladinhos. Tantos, tantos e ainda assim eu queria mais. Sempre quis mais. Mesmo quando confuso, mesmo quando perdido, eu sempre soube onde estava meu coração, e lá no fundo sabia que essa minha curta história só existia e tinha graça porque você estava nela. E sempre estará.
Minha vida teve muito mais sentido desde que você apareceu e arriscou tudo pra estar comigo (enquanto escrevo sinto falta do seu cheiro, da sua pele morna, do seu sorriso macio... e choro miudinho, um choro bom). Esses anos foram os melhores da minha vida, tão curta quanto bem vivida e feliz, e nos meus diálogos comigo mesmo sempre pensei nela como AN/DN - antes e depois da Neguita.

Eu tinha tanto, mas tanto pra te dizer... como eu não teria pra mais ninguém. De tudo o que vivemos, de toda a sua presença na minha existência... dizer qualquer coisa a mais seria injusto com o que faltasse. Porque tudo teve sabor de vida, sabor de você.
Não chore muito por mim, tá? Eu sei que isso não se pede, mas... Se posso te pedir isso... passe por essa fase mas não guarde luto, guarde-me nas boas lembranças e vá viver, porque você é nova e merece tudo de melhor, de mais radiante e intenso dessa vida, porque essas são qualidades suas também. E cuida dos nossos bichinhos (ai que saudade dos meus quentinhos!)... vocês sete são os meus tesouros e viver por vocês era minha maior realização, meu maior motivo pra acordar.
Você me fez tão feliz que, se eu pudesse escolher, viveria 10 vezes mais disso tudo a que chamamos Amor, mas que às vezes parecia ir além. Saiba. Saiba.
Bola pra frente! Não há espaço pra dor, só um longo caminho de vida que você ainda tem a percorrer: tenha os filhos que não tivemos, veja os lugares onde não fomos e busque sempre sua plenitude, meu anjinho preto, porque é exatamente o que eu buscaria se estivesse aí, com você, te empurrando pra vida. Nossa história juntos termina aqui, apenas porque um dia teria de terminar - estou menos triste que termine assim, enquanto saio de cena com a certeza de ter vivido o melhor dessa vida nos teus braços, ao teu lado. Eternizado nesse momento, congelado neste retrato do tempo, onde sempre te amarei e você sempre será a minha Mony, A Mony, A Minha Mulher.

Seja feliz, minha pretinha! Tenha uma boa noite... Dorme bem, dorme com Deus e sonha comigo...
Beijos nos olhinhos (cotíca!).


EU TE AMO, Simone, mulher da minha vida.


P.S.: Se este post foi publicado, isso significa que (salvo algum problema técnico) eu não estou mais aqui para prorrogar o timer.

Nenhum comentário: