quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Toda desgraça, pra trouxa, é pouca

Às vezes eu chego a pensar que estou cercado de bundas-moles. Bunda mole mesmo, daquela que não encara nada mais firme que sorrisos gelatinosos.
Mas aí eu percebo que o problema é meu mesmo. Meu e de minhas ilusões.
Sempre senti, desde pivete, que um relacionamento ideal e franco envolvia despir-se dos joguinhos e estratagemas sociais. Por que? Porque é cansativo, oras. Uma perda de tempo. Não tenho fôlego pra cortar todas as toras que a fogueira das vaidades demanda - achei que tinha, mas não tenho. É fogo rápido, consome tudo, não aguento o tranco.
Por mim, tirando aquelas situações sem escapatória (e mesmo isso é relativo), onde você tem de sorrir amarelo enquanto te enrabam porque disso depende sua sobrevivência, o resto é sentir, pensar, ponderar e dizer.
Pois não é que, pela milionésima vez, eu desobedeci a regra máxima da vida coletiva?
O negócio é calar mesmo. Como todos os outros, aqueles, os ditos bunda-moles, na verdade muito espertos. Eles vieram, disseram, replicaram e treplicaram - mas só na surdina. Na frente, ah, na frente... é boquinha de siri. Entrar por um ouvido sem jamais sair pelo outro (e nem pela boca). É isso: o trouxa aqui não entende que ser aquele que vai e diz de frente o que todos estão dizendo por trás é serviço sujo a ser evitado.
Eu agradeço pela lição. Não posso dizer que seja um aprendizado, porque não é - o burro aqui demora pra entender, e demorar é pecado capital nessa época. Mas vocês estão certos. Certíssimos.
O negócio é falar, falar... e negar quando confrontado. Guardar aquele "eu? Maginaa" na manga, pronto pro saque, e deixar algum trouxa (que, em geral, tem blogue e se arrepende de dizer coisas) diga por você. Deixe que ele defenda seus interesses por tabela, e então se queime e se desgaste.
É pra isso que os ponta-de-lança foram feitos: pra quebrar no couro. Deus, em Seu tabuleiro, precisa de um tantão de idiotas pra armar a greve e ser demitidos enquanto você espera seu aumento em casa. É exatamente isso que esse povinho patético precisa: de porrada na orêia pra ver se aprende que, ao invés de chorar as pitangas em momentos tardios de auto-piedade, deveria é ter o mesmo senso de autopreservação que os espertos esbanjam.
Com sorrisos gelatinosos.

6 comentários:

Gi Caipira disse...

Eu acho que vc está bravo ...

웃 Mony 웃 disse...

Há uma diferença muito grande entre ser bunda mole e saber quando, como e com quem falar ou não.
Na realidade, nossa opinião só interessa mesmo para nós. Em geral, os outros não querem escutar, senão bajulações ou opiniões que validem o que pensam. Quando a palavra soa como crítica, embora muitas vezes seja apenas um toque de quem quer bem, a pessoa tende a ficar na defensiva e ouvir só para distorcer e se vitimizar mais ainda.
Ou seja, nem sempre falar o que se pensa vai dar no resultado desejado, na maior parte das vezes, sai pela culatra... Meio que como diz aquele ditado "Quem fala o que quer escuta o que não quer"...
Mas, se ainda assim, é da alma a vontade de falar, que seja feita, e que se arque com o preço.
Falar por trás é falsidade, mas é mais cômodo pra quem quer desabafar. Quem fala pelas costas, em geral inventa, aumenta e coloca na conversa os próprios recalques. Tiro por mim, na última vez que me peguei falando pelas costas o que não falei pra pessoa... Sim, sou humana e cago na sabedoria várias vezes...
Ah! esse assunto dá margem a muita reflexão. Estou fazendo as minhas pelos mesmos motivos, inclusive. Depois conto lá no meu blog, pq já monopolizei espaço demais... Beijo.
E calma, não é pecado ter ímpetos de falar, nem de não falar. Tudo depende da motivação. ;)

Mariana disse...

Nem li ainda, só passei aqui para dizer:

Voltoooooooooooooooou!

:-)

Mariana disse...

Isso é que dá você querer frequentar!

Karin disse...

Faz um tempão que não passo aqui... e vou passar rapidinho porque tô com a sensação de que se ficar tempo demais vai espirrar um sopapo na oreia! :P

Não sei do que se trata e tô feliz em não saber. Sabe aquele ditado "Ignorance is bliss"? Mas como eu não sossego enquanto não dou pitaco, mesmo sem saber do que se trata, gostei da colocação da Mony. Relaxa, Denuxo. A gente ainda vai cagar muito nessa vida.

Na verdade, só passei aqui pra dizer que tô com muita saudade!!!!!

Beijos!

Moacir Simples Assim ☭ disse...

Nem li, mas quem leu achou correta a sua indiganação sabe-se lá com o quê...