quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Uma (nova) rasteira da informática

Quase um mês sem postar, perdido em desafios tecnológicos.
Essas semanas de trabalho intenso levaram-me ao velho pensamento (hoje, clichê - como tudo nessa Era, que envelhece em poucos meses): a informática veio para facilitar a vida. Só não escolheu ainda a de quem.
Não me entenda mal. Adoro um gadget novo, não sinto saudade do arado e acho ótimo poder falar com gente a 12 mil quilômetros de mim como se estivesse ao meu lado. Vivo de informática, essa ferramenta que muitas vezes foi uma mão na roda (ou cursor?) pra minha criatividade.
Mas... não te parece estranho que, cada dia mais, somos nós que temos de nos adaptar às ferramentas, e não o contrário?

Na faculdade, me lembro bem, havia uma tal de ergonomia, o estudo da perfeição com que um dado objeto se ajusta ao usuário. Taí, seja lá o que aconteceu a ela, sinto por ter sido esquecida nessa equação invertida do novo milênio.
Me pergunto se falta muito pro dia em que as pessoas terão de fazer pós-graduação pra mexer numa calculadora. Deve ser divertido pros desenvolvedores (aqueles nerds vingativos) mudar de lugar os comandos e inventar novas modas, cheias de salamaleques, para fazer algo que você, em sua modéstia pragmática, gostaria que fosse feito ao simples toque de um botão.
Não era esse o sonho, afinal? Esses moleques com sobrepeso do passado, ávidos espectadores de Jornada nas Estrelas, não desejavam também aquelas quinquilharias exóticas, cheias de blips, blaps e nenhuma complicação?

Na informática de hoje, basicamente queremos uma pizza, mas teremos de nos adaptar ao fato de ser feita com areia porque o desenvolvedor achou que não-perecível é mais viável.
E a alternativa é comer o pastel de cimento do concorrente.

***

Não sei vocês, mas não quero ter de pensar (ou pior, fazer malabarismos) pra convencer a chave-de-fenda a fechar o parafuso. Quero apertá-lo e pronto. Não sou micreiro, sou um usuário comum.
Será pedir muito aos especialistas, tão encantados com suas complexas caixinha mágicas de L.E.R. e desgosto?

Na boa: se eu perder mais um centavo (ou minuto) com computadores, volto à caneta.
(E à fila do seguro-desemprego, claro!)

4 comentários:

De Marchi ॐ disse...

Aposto que você clicou no "Foda-se"!

Gi Caipira disse...

Eu cliquei no "nem li"
Mas eu li ...
:D

Mariana disse...

vc tem que ler a "psicologia dos systemas integrados"
lá vc verá que os processadores tb estão no divã

De Marchi ॐ disse...

E pagam consulta?