quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

• E por falar em prazeres...

Bom suá, amiguinhos.
Minha cinturinha de pilão (industrial) não omite evidências sobre o meu prazer pela gastronomia. Não sou daqueles com tempo, dinheiro e mesancene para quitutar o mais incrível risco de molho com três salsinhas e 10 gramas de salmão do Chef Shavaske, mas adoro uma boa comida, daquelas que você explora com a língua pelos cantos da boca e vai sentindo as nuances.
Comer é tão bom quanto sexo (o que nos faz pensar se sushi erótico não é de fato alegria embrulhada pra presente).
Vai daí que eu adoro um bom azeite. Azeite mesmo. E olha, é difícil de encontrar. Já tentaram?
Tô há meses caçando o Beira Alta, eleito o melhor da categoria em custo/benefício segundo uma pesquisa da Pro-teste (de 2002, mas abafa o caso). Em segundo ficou o Carbonell, no que não discordo apesar de preferir os portugueses e italianos. O Gallo, o caro e pretensioso Gallo, ficou em oitavo, numa escala que incluía até a embalagem e a higiene.
Ainda não estamos falando de azeite com A maiúsculo. Aquele gregão metido a besta, só de 50 mangos pra cima (com a ressalva que muitos não valem 10). Quero o Beira Alta pra tirar aquela ondinha numa salada rotineira, o bambambam eu só abro em ocasião especial. Mas não abro mão de um bom azeite.

"Ma che puêrra de assunto é esse no seu blog, ó Denuxo?"

Bom, fazia tempo que não falava de amenidades suaves, né. Explico. Ontem fui pela primeira vez na psiquiatra (ó que legal, assinei o passe de pirado oficial) e papeamos sobre prazeres, as pequenas frescuras e rituais que cada um de nós mantém como símbolo de conforto. Sou rígido demais com certas coisas e, pensava eu, conforto pra mim era botar uma meia seca após uma trilha no meio do mato. Na verdade não é bem assim: eu os tenho, e muito. O azeite é um deles.
Já reparou como você conhece mais sobre as pessoas quando nota essas pequenas manias?
O jeito como sua namorada ajeita o chinelinho simetricamente antes de dormir, o modo como seu namorado afofa o travesseiro do mesmo jeito, como seu amigo corta a ponta do charuto... Sofisticação, estilo, tudo a gente concentra ali. E é uma pompa perdoável, divertida e, descobri, bem saudável.
É o momento onde você dá atenção a si mesmo, onde investe seu tempo e seus atos em nome de uma elegância íntima, feita pra agradar a si próprio. Não é falsa, não confundir com a frescuragem vip pós-moderna psicofuckinsocialite; nada daquela afetação burguesa a exemplo dos enochatos, que levam o ato ao extremo, jamais para si e sempre para o cara ao lado. Você não precisar encontrar no bouquet uma nódoa do aroma dos ventos uivantes de Lyon ao por do sol do meio-dia pra se divertir; basta apenas que desça encorpado e bata com gosto do estômago e no coração.
Você pode ter isso com feijoada, com um cigarrinho de palha, com lençol fresquinho, com aquela cachaça especial, com dois banhos por dia, com o cheirinho do carro novo... mas você pode ter e, mais que isso, deve.
Porque você merece.

Qual é a sua frescura?

4 comentários:

웃 Mony 웃 disse...

Coisa mais fofa reparar no alinhamento dos meus chinelinhos... Mas é um querido mesmo!

Afe! Eu sou cheia de manias e gestos que faço sem pensar SEMPRE da mesma forma. E não é compulsão não, são traços de personalidade, coisas que me destacam como eu, o meu jeito todo Mony de ser... Tem um monte, mas eu deixo para as pessoas que me conhecem observar, pq acho isso tudo muito íntimo, muito pessoal, me sinto exposta demais em contar... Besteirinhas, mas que me revelam onde não sei se quero que os distraídos notem... Deixe o mistério onde ele cabe... :P

Engraçado, estava pensando nisso antes de ler aqui, aliás, até elenquei alguns prazeres nos posts passados no meu blog...
Também não abro mão de um bom azeite, amo!
Sou louca por queijo parmesão, coloco em tudo o que combina, claro!
Um prazer quase que orgástico que tenho é descobrir novos temperos, adoro comprá-los... Um passeio pelo Mercado Municipal aqui de SP é uma festa para meus sentidos!
Afe! Só de pensar já sinto aromas e vejo mil imagens pela frente.
Também adoro frutas, as exóticas então, ui!
Adoro cozinhar e sei que faço isso muito bem, pra mim é um prazer e um luxo cozinhar, fazer toda a alquimia e causar sorrisos e carinhas satisfeitas...
Ah! Chocolate de boa qualidade é tara! Uma bela torta de limão também, Hummmmmmmmmmmmmm!!!!!!!!!!!!
Sim, eu sou hedonista às toneladas, Epicuro morre de inveja!
tem mais, mas não pretendo monopolizar mais ainda o espaço... :P

Karin disse...

Putz.... várias! Esses dias eu tava pensando numa delas. E não gosto de arrumar a cama de manhã cedo, morro de preguiça, mas adoro deitar numa cama arrumadinha, bonita e cheirosa. Pois pelo prazer que eu gosto de ter ao deitar, arrumo o quarto de manhã todos os dias, perfumo travesseiros, deixo tudo parecendo vitrine de loja de cama, mesa e banho... :D

Outra coisa que eu adoro: iluminar a casa com velas, colocar uma música, que depende do estado de espírito, e tomar um vinho no maior sossego.

O engraçado é que só descobri esses prazeres quando me separei... Tinha me afastado tanto de mim mesma que não dava mais ouvidos a esses chamados.

Que bom que vc percebe isso, sem te afastar de nada nem ninguém! ;)

Beijos!!!!

Mariana disse...

Não posso falar das minhas frescuras aqui, mas acho legal você ir ao terapeuta de alma e falar das suas hehehehe.

Janaina disse...

Pode parecer clichê mas sempre tive em mente que o que traz felicidade são as pequenas coisas, e não as grandes conquistas. Coisinhas simples como grudar o nariz no pescoço do meu amor, andar de patins, um ovomaltine do Bobs, um strogonoff de lagosta no Curuca, pegar a estrada pra qq lugar, estar com a familia, com os amigos...
Enfim, é o que faz a vida valer a pena :)