terça-feira, 28 de outubro de 2008

• 31 aninhos

"Bela @!"
...como diria minha avó.
Eu sempre fico azedo em aniversário. Ah sim, claro, muito bom estar vivo, ser jovem ainda e todas aquelas frases que se espera do aniversariante como manifestação de gratidão a Deus, etecétera et all. Mas confesso que, como um bom cavalo em parada militar... caguei e andei.
Eu estava azedo antes do dia 27 e neste dia nenhum milagre, nenhuma revoada de pirilampos, nenhuma aurora boreal ou holofote divino alumiou-me a fronte e a tudo mudou. Acordei, levantei, dei uma boa mijadinha e lá estava eu num dia comum. Só.

Às vezes a gente diz que não se importa com uma data, mas fica só esperando se alguém vai lembrar - se até tal hora ninguém disser nada, as sobrancelhas envergam-se e a coluna também. Mas hoje, quem não lembrou fui eu mesmo; no domingão, não tinha parado pra pensar se cairia na segunda ou na terça.

Não me interprete mal, nada de ingratidão nestas linhas. É cálido, reconfortante e valioso receber tanto carinho verdadeiro entre os costumeiros parabéns pro-forma e demais azeites sociais. Só pela web, recebi mais de 200 votos de paz, sucesso, amor e luz (mas só aceito se não tiver de pagar os Kilowatts), todos muito bem vindos e pelos quais sou grato, de coração.
Eu sei e sinto que há gente que simpatiza comigo (pretensioso, atrevo-me a dizer que até gostam mesmo de mim) e isso sem dúvida tem muito valor para mim. Ocorre que tem todos os dias, não só no aniversário.
Com o passar dos anos, a importância das datas comemorativas simplesmente foi perdendo seu valor intrínseco. Por si, nada mais dizem - são quase um espasmo social, que aparece como obrigação e desaparece com a naturalidade. Por exemplo...

Quer coisa mais mala do que o Natal?
Putaquilosparóla, mai frénds. Comer calorias de inverno em pleno calor de dezembro e botar algodão no enfeite da porta ("olha a neve, maínha!") pra pagar pau de europeu. Gastar o dinheiro que vai faltar no IPVA (que vem na sequência em janeiro), entulhar o duodeno e 'fazer o esquenta' para a mesmíssima comilânça no almoço seguinte (e no Ano Novo). Chester, rabanada, amigo secreto e abraços à meia-noite (talvez com aquele pulha que não olha na sua cara nos demais 364 dias do ano, mas que supostamente 'regozija-se' com a sua presença - pode crer, ele preferia abraçar a mulher-melancia). Ah não, né.
Não há nada mais artificial entre os feriados (talvez as Eleições, mas nessa não se comemora nada). Óbvio que nem sempre foi assim. Aliás, esse fato é parte do que acredito no momento - que certas festas só têm sentido se você for criança ou tiver alguma por perto. Sem balelas como 'criança interior' - a menos que você seja um pepino-do-mar mongolóide, não deve crer mais no Papai Noel e nem vai esperar pelo ferrorama embaixo da cama. Falo das crianças reais, aquelas que enchem a casa com risos - a festa é delas. Seja em qual festa do tipo for, é sua a alegria com o bolinho, com os amiguinhos, as bexigas, as cantigas, o enfeite, os brigadeiros e o CD do Cocoricó que os adultos, pelo exclusivo prazer em vê-las felizes, toleram com um sorriso nos lábios (se for do RDB, aí é pré-adolescente e você pode mandá-lo à merda).
Dá gosto ver criança em festa familiar, é pra ela o Papai Noel e o crediário do Playstation.
Nada mais.



"...Mas Denis, o Natal é a comemoração pelo nascimento de Cristo, quando celebra-se o amor transpessoal daquele que morreu por nós. Eu sei que você é ateu, mas pelo menos deves ver algum valor em estar junto dos parentes, não é?"



Claro que sim, Tinky Winky. De alguns, pelo menos. Mas... você precisa mesmo do dia 25 pra isso? Se qualquer pretexto é pretexto, devo esperar o ano inteiro? Por que não no Halloween? Ontem mesmo disse ao meu irmão que o amo. Souáti?
Sejamos francos: religioso de verdade o é todos os dias do ano, não só em domingo e natal - e a religiosidade não está entre os primeiros itens que vêm à mente quando se pensa nessas festinhas. Na Páscoa, ovo de chocolate; em São João, quadrilha e quermesse, pipoca e pé de moleque; no Natal, Tender e Panetone, presente e árvore de natal.
O presépio?
Uadefóqui isdét?
É isso aí. Todos dizemos dane-se à manjedoura (que eu nunca tive a curiosidade de saber se é o berço ou a casinha de palha), bem como fodam-se aqueles que não têm pai no dia dos pais, nem mãe no dia das mães, e que nesse dia vão se chatear em dobro. Foda-se quem vai comer sopão de evangélico com crise de consciência nesse dia (se cagasse aos pouquinhos, teria sopa pro resto do ano!). Foda-se quem vai ganhar meia ao invés do I-phone (até porque há quem não ganhe nem meia).
Taí! Natal é a festa do Foda-se!
Mais um pouco e começarei a gostar!

Tradições são confirmações de uma realidade que, se não me pertence, nada confirmam. E a cristandade do povo não anda lá essas coisas para afirmar que o Natal tem alguma profundidade além do que está na mesa e no pé da árvore de vinil.
Ultimamente, a festa nem pode ser muito diferente disso - se assim, com toda a firula habitual, já é a data com o maior número de suicídios no planeta, imagine se fosse levada a sério... dói menos quando se pensa que é apenas o dia de gastar dinheiro e encher a pança.
Este esvaziamento de sentido, que pode ser do mundo como pode ser só meu, sinto-o como real. E, curiosamente, não sinto falta de sua contraparte. Me faz bem dar flores e presentes fora de data, telefonar por saudades e comemorar sem motivo algum. Gosto de evocar os símbolos no momento em que se fazem necessários e não o contrário - esse marcar datas para recomeçar a vida, para renascer ou valorizar alguém, a mim, é o mesmo que o regime dos eternos gordos profissionais, que sempre começam na segunda-feira, depois do churras do domingo (e olha que decidem isso na terça-feira!).

Eu agradeço pelo carinho nesse dia. De verdade. Mas agradeço muito mais pelo carinho que, no resto do ano, sem precisar de lembretes no orkut e no Outlook, vem íntegro, terno e vivo como o nosso amor, que teima em brotar no asfalto do mundo e... vejam só! Não é que dá frutos?


Beijocas Lemon (pero nada Ice).

12 comentários:

De Marchi ॐ disse...

Não. O Papai Noel não é o Edson Chulé.

Vinícius Castelli disse...

E que assim seja.

Karin disse...

Ai Denis, confesso que não li tudo, não. Até a parte do aniversário eu fui, mas a do Natal me é querida por todas as lembranças que me traz (tentarei não incluir esse Papai Noel específico no rol... rs).

Depois eu leio, hoje quem tá azeda sou eu. E sabe como é, já tô tomando remédio pra evitar acidez, então melhor não... rsrsrs

Mas só postei pra dizer que tô com saudades e que quero marcar algo aqui em Sampa (ou ABC, não me importo de dirigir), onde tomarei apenas suco de caju e comerei antes porque não há nada em boteco que não seja frito... ô merd@! rsrs

Vê aí o dia que vcs podem... ;)

Beijocas!

웃 Mony 웃 disse...

Oba!
Eu adoro comemorar aniversário e o meu tá chegando.
deixo até vocês cantarem parabéns, Karin.
E olha que eu faço isso feliz da vida, dando risada e tudo!


Viram só, amiguinhos?
Dias pontuais de azedume Denístico:
-O próprio aniversário
-Natal.

Outros também acontecem, mas, são surpresa! :P

Hahahahahahahahahahahahahaha!!!!!!!!
Esse garoro enxaqueca é uma gracinha. :D


Eu adoro comemorar aniversário, como já disse. Acho uma delícia ter um dia só meu pra ganhar paparico. Lógico que paparico sem data marcada é ótimo e muito bem vindo também, mas, gosto sim dessa coisa boa que o aniversário tem de fazer você ganhar o maior número de mimos possíveis no mesmo dia. E, sou feliz por saber que eles são sempre sinceros, pq quem não me suporta mesmo não aguenta nem fazer social... Justamente pq eu sou muito transparente nessa recíproca.
A pessoa pode até não me amar, mas, se não gostar nem um pouquinho não manifesta nada, pq sabe que eu percebo essas coisas... E pq prefiro assim.
Natal é uma delícia. Lógico que carinho não precisa de data. Mas, é que tenho uma família maravilhosa, da qual eu muito besta nem sempre me aproximo, só pq sou tosca mesmo, mas, nesse dia eu consigo vê-la reunida e é uma delícia, pq juntos eles são melhores ainda. Pq me divirto vendo as farras que aprontam. Pq a comilança com eles é uma delícia, tanto quanto seria se tivesse só pão com mortadela...
Pq é bom, mesmo sendo uma data de culto ao consumo, de poucas manifestações de fé e todo esse discurso que faz sentido, que a gente conhece...
Eu gosto pq é ótimo pra mim, e pq eu sou muito up, e pronto.

Mas pode continuar azedinho que não tem problema, adoro limonada! :P

De Marchi ॐ disse...

Está enganada, Mony! Só sou azedo em duas ocasiões: no meu aniversário e nos outros dias. :D

Sumaya disse...

rsrs tentei, mas não consegui ler tudo! depois continuo... beijo

De Marchi ॐ disse...

Posts bões não dão IBOPE!

A reação é porque tá grande ou porque o Papai Noel é saradão? :D

Taí, eu devia ter dividido em duas partes pelo menos...

웃 Mony 웃 disse...

Afe!
esse Papai Noel pelado me dá pesadelos. :(

Mariana disse...

cheguei de portugal e quando chegoo que vejo?

vc falando de seu aniversário e colocando o natal no meio

quer dizer então q seu níver não é 27 do dez é? por que jesus não nasceu 25 de dezembro hehehe

seu aniversário nada tem a ver com natal, principalmente por que eu não ganhei presente nenhum humpf!

caso queira que eu assim o considere fazer pelo menos enviar um cartão de Merry Denistmas

fui!

De Marchi ॐ disse...

Meu aniversário e o Natal têm em comum o fato de terem como personagem principal um cara de saco cheio, Mari... hehehehehe

Mariana disse...

:-P

daniele disse...

até o teletube tentou intervir

comovente

eu só sei que se não fosse natal e aniversario eu não teria uma coleção de hidratantes