sexta-feira, 28 de março de 2008

• Deus potrege os bêbado e as criança

Tenho recebido milhares de 1 comentários elogiosos a respeito do blog, devidamente seguidos por uma suave repreensão à minha brincadeira infeliz com Dioniso/Baco. Faz-se premente, quiçá recalcinofolejantemente urgente, responder publicamente esta crítica pertinente.
"Muito bom o seu blogg!!! kkkkkkk ms acho desrespeito bobo chamar um deus de bibona. pense nisso. bjk"
Anônima gnóstica

Cara anônima*,
Gostaria de pormenorizar esta periquitante questão, mas o tempo ruge, como diria Simba em Hokuna Batata - Volume II.
Quem me conhece sabe que respeito todas as opiniões, inclusive as erradas daqueles que me contrariam (perdão pelo pleonasmo), os quais humildemente perdoo mesmo sabendo que mereciam ser empalados com um provolone de quitanda do Brás. Assim sendo, conflitemo-emos apenas nossos pontos de vista.

Primeiramente, agradeço pelo elogio, mas desrespeito é achar que é desrespeito adjetivar alguém como "bibona". Se eu chamar Hera de "muierona" (mesmo sendo mais seca que boca de maconheiro), creio que Ela não vai se ofender (espero!).
Segundamente, o olhar de criança, o qual toscamente tento preservar dentro das minhas possibilidades, é necessariamente um "profanador". Mas jamais profano. Se a senhora não compreende a risada franca dos pequerruchos que defecam e caminham para nossas pompas, ícones e ritos, então:
a) anda esquecida
b) tá olhando pro dedo que aponta a lua
c) precisa rever seu conceito de participação mística
d) precisa de um passe do Mestre Kaghanda
e) Todas as anteriores

Domingomente, não pretendo medir conhecimentos teóricos sobre este ou aquele mito, mas... pra que conhecer e não vivenciar? Tem certeza de que está a defender uma das únicas representações do divino capazes de rir de si mesmas?
Nobre amiga anônima, tenho a dizer em defesa aos meus jogos que, mais do que sinal da cruz, mandinga e incenso de patchouli, o Sagrado adora rir. Assim como as crianças. Agora monte a ponte lógica. Voilà.

Crianças não vêem a si como distintas do Sagrado. E o Sagrado é o único que pode profanar, inclusive a si mesmo. Crianças riem de Dalais Lamas (e estes adoram, baixam a bola e riem também).
Como diria Raul Seixas, pagar pau não é uma função bem desenvolvida durante a infância. Isso é como pêlo no sovaco, um inconveniente que demora um pouco pra aparecer. Crianças querem saber porque o padre tá de saia e o Jesus tá de cueca na igreja enquanto elas precisam botar 'roupa de missa'; se tinha fedô de cocô de vaca na manjedoura, se o cabritinho estava feliz; se Cristo chorou na hora que martelaram o prego (e perguntam apalpando as próprias mãozinhas, veja só). Elas só querem saber do que importa.
Eu não sou criança senão simbolicamente. E mesmo assim não sei se cabe a qualquer um de nós reprimir aqueles que dizem que o rei está nu porque, afinal, o puto está mesmo peladão. Em todo caso peço desculpas, não pelas brincadeiras e sim por falar sério, tentar explicar e com isso profanar a brincadeira.
Saiba que esta é uma zona famíliar e a prostituição dos pseudovalores continuará pela módica quantia de uma risadinha, afinal sou um De Marchi e devo lesar, digo, zelar pela tradição do Frango com Polêmica.

Um grande beijo e saravá!

*(os nomes, R.G.s e dimensões clitorianas foram omitidos para preservar a identidade).

6 comentários:

Vinícius Castelli disse...

Mas tá se desculpando pelo que ??
A opinião não é livre assim como os atos ??
Que fique pelado quem quiser, oras bolas....

Luiz disse...

hahahahahahahahahahaha
Cara, mas que coisa é esse blog????
Daqui a pouco eu volto... mas espera sentado...

Anônimo disse...

Tá se sortando nesse blog né mano véio?
Está ótimo!
Continue.
Você ainda tem muita coisa prá dar.


Anta de Tênis

Elda disse...

Você é uma figura!!!

Adorooooooooo!!!

Beijo!

Anônimo disse...

he he he he he he he he he he he he he he he he he he he he he he he he he he he he he

Anônimo disse...

Seria mais justatodocontraproducente chamar esse blogueiro de Bibona


Zé anonimo.